Avatar

Bussaco Digital premiado pela Federação Europarc

2 Outubro 2015
Sem comentários

O Bussaco Digital acaba de ser distinguido com o prémio para o melhor projeto de comunicação em áreas naturais europeias. Entregue pela Federação Europarc, uma das mais importantes instituições europeias no que toca à gestão e conservação da natureza e que representa 365 membros entre departamentos governamentais, ONGs e áreas protegidas de toda a Europa, o galardão distingue o projeto desenvolvido para reflorestar as áreas de floresta da Mata Nacional do Buçaco que foram destruídas após o temporal de janeiro de 2013. Para além da Fundação Mata do Bussaco (FMB), a iniciativa envolve os departamentos de Comunicação e Arte e de Biologia da Universidade de Aveiro (UA), o SAPO Labs, também da UA, e o apoio da Fundação PT.

1157159346

Depois de ter sido selecionado como exemplo de boas práticas a nível nacional, tendo sido finalista nos Green Project Awards 2014, e a nível europeu no que à inovação e sustentabilidade diz respeito – no âmbito dos projetos CASI e Active Citizens for Active Climate Protection – o Bussaco Digital recebe mais um galardão que será entregue durante a 2015 Europarc Conference que se vai realizar na cidade de Regensburg (Alemanha) de 26 a 27 de outubro.

Pensada como estratégia para recuperar a área verde perdida durante o temporal do início de 2013, a plataforma digital, uma ideia original de Nelson Matos, antigo aluno de4 Planeamento Regional e Urbano da UA atualmente a trabalhar na FMB, permite que qualquer pessoa, através de um simples clique no computador, possa plantar uma ou mais árvores enquanto contribui para a respetiva manutenção e preservação daquele património natural.

“Com este projeto a Mata conseguiu mais árvores para ajudar na recuperação após os episódios de mau tempo que causaram a queda de inúmeras árvores e a consequente abertura de clareiras”, aponta Milene Matos, bióloga do Departamento de Biologia (DBio) da UA que tem colaborado em trabalhos de investigação e divulgação da Mata e dos seus valores naturais. Por outro lado, acrescenta, “conseguiram-se alcançar aspetos mais intangíveis como sejam o fomento da interação e ligação do Buçaco à sociedade, uma ‘democratização’ da Mata, ao torná-la de certo modo acessível a pessoas de qualquer parte do mundo e a promoção generalizada da consciência ambiental”.

O entusiasmo dos participantes, aponta a investigadora do DBio é bastante evidente nos testemunhos que têm feito chegar ao site do projeto. “Para este entusiasmo contribui claramente o envio de um ‘certificado de plantação’ com as coordenadas da árvore plantada que permite à pessoa ir futuramente visitar a ‘sua’ planta. Esse é o ‘corolário’ da boa ação, e ao ver ao vivo ou numa fotografia a árvore, a pessoa sente o seu contributo digital como real”, congratula-se Milene Matos.

O acesso à informação e localização, através de coordenadas GPS, sobre a árvore plantada estará acessível através de um simples registo na plataforma, disponibilizada via internet, que permitirá a interação com pessoas que estão fisicamente distantes, facilitando o processo de contribuição, fomentando a interação social, aproximando a Mata da população e promovendo o sentido de altruísmo e sensibilização ambiental. Este acesso permite igualmente dedicar uma ou mais árvores a alguém.

(Artigo publicado pelo Jornal Online da Universidade de Aveiro)



Sem comentários